Lançamento

Lançamento

coisas que aprendi

.Para saber mais CLIQUE aqui

Conversa do bebê Camelo

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Enfrente a Realidade

Há momentos na vida de uma pessoa, de uma empresa e mesmo de uma Nação que nos dão a tentação de fugir, de fingir que eles não existem. Passamos então a procurar culpados, a lembrar do passado, a tentar mudar a própria realidade.  A verdade, no entanto, é que, muitas vezes, a realidade é dura, crua, e está ali para nos desafiar.  É preciso enfrentar a realidade!
            Se algo de ruim acontece conosco no plano pessoal, de nada adianta ficarmos num eterno lamento, numa eterna fuga. É preciso enfrentar a realidade!
            Se algo de errado acontece em nossa empresa – seja com os produtos, com os serviços, com os colaboradores, com os clientes, com os fornecedores – de nada adiante protelarmos a solução. Quanto antes agirmos, melhor. É preciso enfrentar a realidade!
            Quando um País passa por uma crise profunda como é o caso da Argentina agora, pouco adianta o povo ficar “batendo panelas”, fazendo passeatas, buscando culpados,  xingando ex-governantes, etc. É preciso enfrentar a realidade!
            Por mais dura e difícil que seja uma situação – pessoal, empresarial ou nacional – é preciso ter a coragem de enfrentar, de agir, de solucionar, de mudar.   E quanto antes melhor! Muitas vezes o tempo pode ser um bom conselheiro e mesmo resolver nossos problemas. Mas o risco de deixar para o tempo é muito grande. O não fazer, não agir, não enfrentar, pode ser fatal para pessoas, empresas e Países. É justamente a capacidade de enfrentar com decisão e ação os problemas e a própria realidade (seja ela qual for) que separa os vencedores dos perdedores.
            Será que nós também não temos medo da realidade?  Será que não temos o hábito de deixar que “o tempo resolva” aquilo que sabemos que só irá se complicar e piorar com o passar do tempo? Será que não fugimos da realidade através da busca de culpados, quando sabemos que isso pouco ajudará na solução do problema? Será que em vez de enfrentar a realidade não ficamos sonhando com o “como seria bom se o problema não existisse”? Será que no fundo não somos um pouco (ou bastante) covardes frente a uma dura realidade que precisa de nossa ação imediata, forte e decidida? Será que às vezes não “fingimos” que a realidade não existe?
            Lembre-se é preciso enfrentar a realidade! Custe o que custar. Doa o que tiver de doer.
            Nesta semana, pense nisso. Enfrente a sua realidade!
Luis Marins